Olá, seja bem vinda a este meu espaço .
Aqui deixo meus desabafos, minhas dores , minhas alegrias,
Aqui , só eu existo , e agora, tu também.

Deitou-se sobre a nudez e foi escorregando em mim.
_Isto é um escândalo_ disse, mergulho no torrencial no meio das minhas pernas.
Fecho os olhos, agora como lá: vaguear de língua em câmara lenta pelo interior das coxas até ás margens alagadas, de um lado, de outro, como se cumprisse um ritual. Decai como um balão de ar quente até encostar os lábios tenros aos meus.
_Gulosa!
Abre-me bem as pernas para que o assista imponente.
De seguida, prende-me pelos tornozelos e goza da amplitude conquista.Os meus braços quedam-se imóveis sobre o colchão. Num gesto delicado e firme, soergue-me pelo rabo para melhor ascender ao âmago do desfiladeiro, lado lunar do sexo,tocando-me com a ponta rígida e húmida da língua. É de lá que o sinto vir, subindo em pequenos ziguezagues que me desarrumam e expõem. Sinto-me sorvida de modo perverso. Noto que tem os olhos fechados e parece embebedar-se de mim.
_Saborosa!

Tanta gente ao sol desta manhã.

É verdade  Amor,

tanta gente aqui, tantas caras, tantos corpos 

e nenhum é o meu ou o teu,

nem poderia ser.

Porque, se pudesse, se eu hexistisse , ou se tu hexistisses,

o mundo  nos pareceria mais colorido,

mais doce,

mais nosso.

Mas, 

infelizmente, não é assim.

Já nem sabemos as letras dos nossos nomes, 

já nem sabemos de nós.

Foi tudo tão rápido,

que até a saudade, já não sabe se o é.

E agora?

O que é feito de mim?

O que é feito de ti?

Quem somos nós?

Ai! Essa fada é safada
Quando afaga, afoga
Maga do tesão
Nem em Deus acredita, Deusa maldita
Tua sina ela dita, tua rendição
Ela é à-toa, tua perdição
Vem, pomba-gira
Pira tua ira
Me vira em tua ação
Amada maga, safada fada
Afoga afaga
Sou teu gato.

"Agora beija-me"
Sobre o teu corpo
cinzelado de mulher
o meu em arrepio.
Sobre o teu peito
o pólen do vento
doce e agreste.
Sobre o teu ventre
o meu fogo navegante
e a lua pardacenta.
Sobre a tua boca
a minha língua bailarina
e o mapa dos desejos.
Agora beija-me…
Não aguento as palavras!

Bernardo Terno.

 

Foi para ti
que desfolhei a chuva
para ti soltei o perfume da terra
toquei no nada
e para ti foi tudo

Para ti criei todas as palavras
e todas me faltaram
no minuto em que falhei
o sabor do sempre

Para ti dei voz
às minhas mãos
abri os gomos do tempo
assaltei o mundo
e pensei que tudo estava em nós
nesse doce engano
de tudo sermos donos
sem nada termos
simplesmente porque era de noite
e não dormíamos
eu descia em teu peito
para me procurar
e antes que a escuridão
nos cingisse a cintura
ficávamos nos olhos
vivendo de um só olhar
amando de uma só vida.

Mia Couto

Já não sei se é saudade,
Ou o hábito de pensar em ti,
Todos os momentos bons
Trazem-me o teu rosto
E é impossível não perceber
O que sinto

Perde-te comigo... vamos pecar?
Perde-te comigo... envolve-te em mim, neste meu corpo faremos enorme banquete, onde o nosso prazer seja um festim. Perde-te comigo... juntamos o meu sonho com o teu desejo, percorrerei teu desnudo e perfumado corpo ao som do meu húmido beijo. Perde-te comigo...

Convite ao Pecado.

Se eu pedir pra você abrir o vestido e me provocar acalmar o grito que implora pra ter-te aqui comigo, você não para?
Mesmo que eu peça e te encha de tapas, continue a provocação, me consuma, não economize em nada, seja exagerado, depravado, um homem indecentemente apaixonado, você não para?
Gosto mesmo do seu excesso do seu lado perverso, do seu tesão esculhambado, xingado e bem marcado em meu corpo, gosto desse fogo que me queima e me condena, desse amor que me pega sem dó e nem pena, sei que gosta desse meu jeito safado, que faz de tudo para lhe tirar o sossego, atiça, lhe excita até você pedir arrego.
Se eu pedir, você não para?
Escancara a sua safadeza, me joga sob a mesa, que eu inclino, te alucino, só pra te trazer pra mais perto, de certo você sabe, você sente, você quer tanto quanto eu.
Se eu pedir, você não para?

Gel

“Vem escorregar sobre meu corpo Como uma artista querendo reter cada sensação Mas quero ir mais além Vem... Aperta este homem que te quer muito Vem bailar neste ritmo delicioso Deixa os nossos corpos se perderem dentro um do outro Ama-me como nunca Amaste Deixa o clima do momento dominar o teu ser Não digas nada, mas se quiseres podes gemer Sentirei mais prazer ao saber que me desejas Quero sentir a linguagem do teu corpo Quero que este momento seja eterno Que fique sempre retido dentro de nós Vem brincar com teu lobo mau Satisfaz as tuas vontades Deixe-me louco, do jeito que só tu sabes Quero sair daqui sentindo o teu gosto Levar a lembrança do teu cheiro Reter o teu olhar de mulher louca doce apaixonada Com a certeza de que somos felizes.”

"Mulheres sentem falta de ter um namorado.
Entendo, mas namorar por namorar não basta... 
Tens que ter ao lado um Homem que te traga paz...
Que faça com que te sintas amada, respeitada, e acima de tudo, que te faça rir. Não sentes falta de um namorado apenas, queres alguém que faça a diferença no teu dia.
Que seja gentil fora da cama e engraçado por ser inteligente e subtil.
Uma Mulher como tu deve ter um Homem que te faça perceber que as coisas passam, que momentos dificeis servem para valorizarmos os dias de folga, que te faça entender que relacionamentos vivem de encomtros verdadeiros e carinhos involuntários. 
Tu, és Mulher para se ter, para ser amada, cuidada, compreendida.
Mulher para ser valorizada por um Homem que te traga segurança, beijos bons, abraços fortes e orgasmos memoráveis!
Que te faça ter vontade de largar tudo no meio da tarde só para ganhar um abraço...
Que te faça sentir falta do seu perfume, que te faça rir ao lembrar da piada que ele contou durante o jantar.
Sei que encontrar um Homem é mais difícil que ganhar o euromilhões, mas o facto é que esse é o Homem, o minimo que tu mereces!
Não te envolvas com quem é mais ou menos porque foi o que apareceu na tua vida.
O que não é especial não marece ter-te."
Desconhecido

Eterna namorada
Tu que sempre foste linda nos meus caminhos
E que alcançaste de mim os maiores carinhos;
Quero lembrar-te nos sonhos que em mim realizaste,
Centenas de horas de paz que inventaste,
No amor bem vivido que não criavas reserva,
Na noite sabia, ser senhora e ser serva!
Tu que o Sol encontrava sempre dormindo,
Que me esperavas acordada sempre sorrindo;
Para ti no dia ensolarado, ou na noite fria e enluarada,
Quero-te dizer: Amo-te; tu és a minha eterna namorada!

 

Esperança
Veio um vendaval
Destruiu-te os sonhos
Enrolou-te em medos
Cambaleaste sem beber
Atordoada com o vento
Gelada com o frio
Só houve um sentimento
Um negro e doloroso vazio
Vieram as lagrimas
Que teimaram dias a fio 
Em não te abandonar
Só saiam á noitinha
Sozinha, no escuro
Só tu e as estrelas no céu
Tem sido um vazio 
Um questionar o Porquê?
Agora mais um para Quê?
Depois desta questão
Cansada 
No limite da exaustão 
Chegou a frase 
É de Paulo Coelho
Todos os guerreiros já temeram 
Entrar em combate
Todos os guerreiros
Já perderam a fé no mundo
Mas nunca nenhum guerreiro
Desistiu
Com medos com fraquezas
Sempre continuaram a luta
E sempre com a convicção da vitória
“Dos fracos não reza a história “
Lutar por uma VIDA
É sempre uma vitória
E tu ainda tens a vantagem
Nesta luta tão injusta
Seres amada e protegida
Por um anjo sem céu
Nestes dias de cansaço
Poderes abraçar-te a ele
Ao teu anjo de Amor
Que é também um anjo de aço

Maria Carvalho
05.10.2015

"Tu sabes...

O que o cheiro...
Do teu cabelo...
A tua pele...
O perfume...
Que exalas...
Me provoca?...
Fecho os olhos...
E vejo...
De novo...
A delicadeza de ti...
Que...
Numa pura paixão...
Renasce em mim...
Preciso calar...
O sentimento...
Que avassalou...
A minha alma...
Erótica de desejos...
São rasgos...
De intensos momentos...
De loucura e lucidez...
De sintonia...
Perfeita...
Na mais pura insanidade...
De dois corpos...
Que silenciosa...
E lentamente...
Perturbam...
A solidão...
Dos recantos da memória...
Que persiste...
Em mim habitar...
Queria adormecer...
E sentir-te...
No infinito da saudade...!" 

(P.Ferreira)


Em teus carinhos me perco
Banhada por seus beijos
Explorada por suas mãos
Sinto seus lábios desvendarem segredos
Percorrendo as curvar do meu ser
Sinto a pele reagir
Neste bailar de línguas
Que se esconde...Que se mostra...
Tens meus gemidos
contidos em teus lábios...
Devorando minhas palavras
Apenas sussurro...
Ais...
Buscando de ti o sabor
que faz-me satisfeita
Teu corpo...
meu deleite, minha tela
Pintada com marcas do meu prazer
Desenho da explosão dos meus sentidos
Em meu corpo banhado por seus beijos...
Mora todo esse desejo
Do qual você amor...
É possuidor!

Isa

 

Quando lembrares de mim,
Lembra de mim com saudade...
Se me lembrares assim,
Me lembrarás de verdade.
 
 
 
Procura entender que ausência
Nem sempre é separação;
O amor traz na própria essência
As marcas da solidão.
 
 
 
Procura me recordar
Rememorando uma história
Que já temos pra contar;
Consulta tua memória...
 
 
 
Relembra os sentimentos,
As emoções cristalinas
Que nasciam nos momentos 
De emoções tão repentinas...
 
 
 
E logo se misturavam
Nas palavras tão sentidas
Que os sonhos eternizavam
Num tempo de nossas vidas.
 
 
 
Não cobres minha presença
Com tolos ressentimentos...
Quando a intolerância pensa,
A mágoa chega no vento.
 
 
 
Se queres me recordar,
Constrói da tua emoção,
Um riso no teu olhar,
Me guarda em teu coração.
 
 
 
E espera... se eu demorar, 
Quando eu voltar, certamente,
O sonho que eu te sonhar
Te habitará... novamente.

EM SILÊNCIO... AGUARDO-TE!

Em silêncio... aguardo-te!
Vem
Estende tuas mãos sem embaraço
Aperta-me e dá-me um abraço.
Vem... tu que te chamas Amor.
Em silêncio... aguardo-te!

Aguardo...
Tuas mãos se aproximarem e em mim tocarem.
Textura de mãos pétalas, em carícias de quem sabe amar
Braços com ternura, num abraço, a me enlaçarem
Beijo doce em revolução, que nos fará, silenciar.

Aguardo...
Meu corpo Mundo, lago de paz
Seios, colinas brancas para tu afagares.
Ventre, jardim de musgo plantado,
pronto a florir e colorir, nos tons, de cio de amantes.

Aguardo...
Meu corpo mar revolto, praia e nascente
Poro a poro, minha pele por ti clamar sedenta.
Vulva, dunas de areia, grão a grão incandescente.
Tua boca a valsar, premeditamente, de forma lenta.

Aguardo...
Meu corpo alma ,sem véus, para ti se vestir de nú
Cresceres em mim, como semente em terra regada
Movemo-nos unos, celebrando,nosso íntimo menú.
Mergulhados nos sentires... serei por ti amada.

Em silêncio... aguardo-te!
Vem
Estende tuas mãos sem embaraço
Aperta-me e dá-me um abraço.
Vem... tu que te chamas Amor.
Em silêncio... aguardo-te

©Susana Maurício
2014
(ao abrigo do código do direito de autor)

Tela " Vozes do Silêncio "
Técnica mista
da Artista Plástica Minela Reis

tenho vontade de deixar tudo e deitar-me, encostar-me a ti, pousar a cabeça, o corpo,
eu,
no descanso silencioso dos teus ombros,
e adormecer à procura de respostas,
quando acordarmos vou continuar cheio de perguntas,
mas tão completo de ti.

 

Pedro Chagas Freitas.

Atenciosamente

Albino Alves

HÁ PALAVRAS QUE NOS BEIJAM
Há palavras que nos beijam
Como se tivessem boca,
Palavras de amor, de esperança,
De imenso amor, de esperança louca.
Palavras nuas que beijas
Quando a noite perde o rosto,
Palavras que se recusam
Aos muros do teu desgosto.
De repente coloridas
Entre palavras sem cor,
Esperadas, inesperadas
Como a poesia ou o amor.
(O nome de quem se ama
Letra a letra revelado
No mármore distraído,
No papel abandonado)
Palavras que nos transportam
Aonde a noite é mais forte,
Ao silêncio dos amantes
Abraçados contra a morte.
Alexandre O'Neill

 

AMOR... AMO-TE!
(por publicar)

Amor... Amo-te!
Tem de ser proferido com muito respeito
Não de forma banal... generalizado.
Amar... sentir sublime, é o mais perfeito
As dores que causa é de um amor travestido.

Amor... Amo-te!
Verbo tão conjugado sem qualquer sentido.
Sentimento maior, único, profundo e ímpar.
Usado e abusado... tão desvalorizado.
Não permitamos a pureza do Amor deturpar.

Amor... Amo-te!
Na incerteza do sentir, usem a palavra gostar.
“Gosto de ti”... entre ternos beijos murmurado,
É sinceridade, sem o verbo Amar injuriar.
Aprendam a usar o Gostar, de mil cores matizado.

Amor... Amo-te!
É entrega sem limites, doação incondicional,
AMA-SE...sente-se. Porquê? Ninguém o sabe...
Sua morte será lenta... de forma gradual.
Lágrimas, saudade, dor, tempo que vence...
... um Amor desigual.

©Susana Maurício
Março 2014
(ao abrigo do código do direito de autor)

Sonhos
Entre as palavras de amor e os sonhos de vida
Quando o mundo era só nosso...
E me deste o beijo que calou o frio da noite
Aqueceu a minha alma, acendeu um vulcão em mim
Só me recordo de entre o doce Acre do momento...
Ter fixado a lua, o brilho das estrelas 
Cúmplices antigas da minha solidão
E depois...
Muito contente por vê-las
Falei-lhes de ti
Do nosso amor 
Deixei-me seguir...
Amei-te muito para lá do melhor que eu já vivi

 

Maria carvalho.

Não te rendas

Não te rendas, ainda estás a tempo
De alcançar e começar de novo,
Aceitar as tuas sombras,
Enterrar os teus medos,
Libertar o lastro,
Retomar o voo.
Não te rendas que a vida é isso,
Continuar a viagem
Perseguir os teus sonhos,
Destravar o tempo,
Remover os escombros,
e destapar o céu.
Não te rendas, por favor não cedas,
Mesmo que o frio queime,
Mesmo que o medo morda,
Mesmo que o sol se esconda,
E se cale o vento,
Ainda há fogo na tua alma
Ainda há vida nos teus sonhos.
Porque a vida é tua e teu também o desejo
Porque o quiseste e porque eu te quero
Porque existe o vinho e o amor, é certo.
Porque não há feridas que não cure o tempo.
Abrir as portas,
Tirar os ferrolhos,
Abandonar as muralhas que te protegeram,
Viver a vida e aceitar o repto,
Recuperar o riso,
Ensaiar um canto,
Baixar a guarda e estender as mãos
Abrir as asas
E tentar de novo,
Celebrar a vida e retomar os céus.
Não te rendas, por favor não cedas,
Mesmo que o frio queime,
Mesmo que o medo morda,
Mesmo que o sol se ponha e se cale o vento,
Ainda há fogo na tua alma,
Ainda há vida nos teus sonhos
Porque cada dia é um começo novo... "

Mário Benedetti

Para Ti

Foi para ti 
que desfolhei a chuva 
para ti soltei o perfume da terra 
toquei no nada 
e para ti foi tudo
Para ti criei todas as palavras 
e todas me faltaram 
no minuto em que talhei 
o sabor do sempre
Para ti dei voz 
às minhas mãos 
abri os gomos do tempo 
assaltei o mundo 
e pensei que tudo estava em nós 
nesse doce engano 
de tudo sermos donos 
sem nada termos
simplesmente porque era de noite 
e não dormíamos 
eu descia em teu peito 
para me procurar 
e antes que a escuridão 
nos cingisse a cintura 
ficávamos nos olhos 
vivendo de um só 
amando de uma só vida

Mia Couto

Sonhos
Entre as palavras de amor e os sonhos de vida
Quando o mundo era só nosso...
E me deste o beijo que calou o frio da noite
Aqueceu a minha alma, acendeu um vulcão em mim
Só me recordo de entre o doce Acre do momento...
Ter fixado a lua, o brilho das estrelas 
Cúmplices antigas da minha solidão
E depois...
Muito contente por vê-las
Falei-lhes de ti
Do nosso amor 
Deixei-me seguir...
Amei-te muito para lá do melhor que eu já vivi

 

Maria Carvalho

Pequeno Dicionário (feliz) em Imagens...
B de BEIJO (1)

....Alexandre O'Neill....

Há palavras que nos beijam 
Como se tivessem boca. 
Palavras de amor, de esperança, 
De imenso amor, de esperança louca.

Palavras nuas que beijas 
Quando a noite perde o rosto; 
Palavras que se recusam 
Aos muros do teu desgosto.

De repente coloridas 
Entre palavras sem cor, 
Esperadas inesperadas 
Como a poesia ou o amor.

(O nome de quem se ama 
Letra a letra revelado 
No mármore distraído 
No papel abandonado)

Palavras que nos transportam 
Aonde a noite é mais forte, 
Ao silêncio dos amantes 
Abraçados contra a morte.


Imagem de: Géssica Hellma

----PASSEEI PELA PRAIA...

Sabes meu amor...passeei pela praia
e ouvi uma voz chamar...pelo meu nome...
olhei á minha volta...não vi ninguém...
voltei a olhar... a voz vinha do mar...
parei...e ouvi uma onda dizer baixinho...
vens só?

Eu disse... venho com os meus pensamentos...
venho visitar a minha amiga... que te traz até mim...

E a onda falou baixinho...
continuas a pensar nela...naquele amor...
que não quis ser tua...onde está ela?
gostava de a ver aqui contigo...
era bom..ver-vos de mão dada aqui pertinho
passeando pela praia...

Será que foi embora...porque não te amava?
ou será que teve medo?...aí estará o segredo...
eu disse àquela onda imaginária...
isso é algo que eu jamais saberei...ao certo
mas sei que vou guardar este amor...longe ou perto...
Então resolvi...trazer até ti...este recado ...meu amor...

Vindo do mar, deste mar que umdia foi só nosso...

ODETE DIAS o2/o4/15

Como Queiras, Amor...
Como queiras, Amor, como tu queiras.
Entregue a ti, a tudo me abandono,
seguro e certo, num terror tranquilo.
A tudo quanto espero e quanto temo,
entregue a ti, Amor, eu me dedico.

Nada há que eu não conheça, que eu não saiba,
e nada, não, ainda há por que eu não espere
como de quem ser vida é ter destino.

As pequeninas coisas da maldade, a fria
tão tenebrosa divisão do medo
em que os homens se mordem com rosnidos
de malcontente crueldade imunda,
eu sei quanto me aguarda, me deseja,
e sei até quanto ela a mim me atrai.

Como queiras, Amor, como tu queiras.
De frágil que és, não poderás salvar-me.
Tua nobreza, essa ternura tépida
quais olhos marejados, carne entreaberta,
será só escárneo, ou, pior, um vão sorriso
em lábios que se fecham como olhares de raiva.
Não poderás salvar-me, nem salvar-te.
Apenas como queiras ficaremos vivos.

Será mais duro que morrer, talvez.
Entregue a ti, porém, eu me dedico
àquele amor por qual fui homem, posse
e uma tão extrema sujeição de tudo.

Como tu queiras, meu Amor, como tu queiras.

Jorge de Sena.

A Garota mais bonita que eu conheço

A garota mais bonita que eu conheço
não é nenhuma miss, nem engata tantos olhares quando passa por aí
A garota mais bonita que eu conheço
nem acha que é bonita.
Acha graça e não acredita
quando eu à digo assim
A garota mais bonita que eu conheço
não faz nada para parecer bonita
Não faz boa maquiagem,
não usa jóias ou roupas da moda,
não vai pra academia nem tem belo manequim
A garota mais bonita que eu conheço simplesmente sorri,
e, quando sorri,
ela é a garota mais linda do mundo!

ALMA-ME
Alma-me. Este é um verbo que para nós existe,
e podes mais do que me amar. Ama-me assim;
ama-me com a certeza de que amar é igual a viver;
ama-me como quem tem o maior coração do mundo
ama quem tem coração de tamanho igual ao do seu;
a sair do peito como água calma saindo do leito.
Desborda. Como eu: mais do que te amo; Almo-te.
Sérgio Lizardo

Não pretendo ser camaleão, mas que vejas em mim todas as cores do mundo.

 

empenhamos tanto para levantar... Ser transparente é permitir que toda a nossa doçura aflore, desabroche, transborde! Mas infelizmente, quase sempre, a maioria de nós decide não correr esse risco. Preferimos a dureza da razão à leveza que exporia toda a fragilidade humana. Preferimos o nó na garganta às lágrimas que brotam do mais profundo de nosso ser. Preferimos nos perder numa busca insana por respostas imediatas a simplesmente nos entregar e admitir que não sabemos, que temos medo! Por mais doloroso que seja ter de construir uma máscara que nos distancia cada vez mais de quem realmente somos, preferimos assim, manter uma imagem que nos dê a sensação de protecção... E assim, vamos nos afogando mais e mais em falsas palavras, em falsas atitudes, em falsos sentimentos. Não porque sejamos pessoas mentirosas, mas apenas porque nos perdemos de nós mesmos e já não sabemos onde está nossa brandura, nosso amor mais intenso e não contaminado. Com o passar dos anos, um vazio frio e escuro nos faz perceber que já não sabemos dar e nem pedir o que de mais precioso temos a compartilhar, doçura, compaixão... a compreensão de que todos nós sofremos, nos sentimos sós, imensamente tristes e choramos baixinho antes de dormir, num silêncio que nos remete a uma saudade desesperada de nós mesmos... daquilo que pulsa e grita dentro de nós, mas que não temos coragem de mostrar àqueles que mais amamos! Porque, infelizmente, aprendemos que é melhor revidar, descontar, agredir, acusar, criticar e julgar do que simplesmente dizer: "você está me machucando... pode parar, por favor?". Porque aprendemos que dizer isso é ser fraco, é ser bobo, é ser menos do que o outro. Quando, na verdade, se agíssemos com o coração, poderíamos evitar tanta dor, tanta dor... Sugiro que deixemos explodir toda a nossa doçura! Que consigamos não prender o choro, não conter a gargalhada, não esconder tanto o nosso medo, não desejar parecer tão invencível. Que consigamos não tentar controlar tanto, responder tanto, competir tanto que consigamos docemente viver...sentir, amar... E que você seja não só razão mas também coração, não só um escudo, mas também sentimento. "Seja transparente, apesar de todo o risco que isso possa significar."